blog

Voltar


A hora da mudança! Como empreender sem medo?
Publicado em 12.03.2018 // 0 Comentário
Empreender sem medo

Como empreender sem medo é, sem dúvidas, um dos maiores questionamentos que escuto como coach ultimamente. Vivemos em um período onde, cada vez mais, as pessoas buscam satisfazer suas necessidades pessoais e profissionais ao mesmo tempo. É como se hoje uma coisa não se descolasse da outra.

Vejo que a crise, em que o país entrou, se configurou em uma baita oportunidade pra quem precisava de um “empurrãozinho” para empreender. A grande questão é: como transformar este desejo de mudança latente, em realidade? O que é preciso fazer para tentar diminuir o frio na barriga que dá quando se pensa em abrir seu próprio negocio?

Você no futuro

Antes de mais nada, pense no que você realmente quer para sua vida. Pense em seus planos, suas vontades e naquilo que te agrada. Materialize este pensamento no futuro, mais especificamente em como você quer estar daqui 5, 10 e 15 anos! Se esforce e não pense que este futuro está muito longe. É assim que começaremos nosso planejamento.

Colocando seu futuro em prática

Depois de pensar nisso, o próximo passo é definir o que é o seu negócio. Coloque tudo no papel! Isso vai diminuir sua ansiedade em relação ao negócio e às coisas que você espera dele. Uma ferramenta que pode te ajudar bastante para isso, de uma forma ampla, é o Canvas. Você pode baixar um modelo, no site do SEBRAE, que irá te “orientar”. O Canvas é o “mapa do seu negócio”, e nele você deve inserir:

  • As atividades principais que seu negocio terá;
  • As pessoas chave que podem te auxiliar e abrir portas para que seu negócio se realize. Quem serão as pessoas que irão te auxiliar a realizar seu empreendimento? Como elas irão te ajudar?;
  • Os recursos que serão necessários, e aqui falamos de “coisas e pessoas”;
  • Quais serão os seus diferenciais que fazem com que suas atividades sejam melhores que as da concorrência e qual valor você agrega para seus possíveis clientes;
  • Quais relações você irá estabelecer com seus clientes, como você fará para “atraí-los” e “encantá-los”?;
  • Os dados do seu mercado (áreas e canais de venda);
  • E, não menos importante, a sua estrutura de custos e fontes de renda.

Olhando para fora

Mas não adianta só colocar no papel. É preciso saber se as pessoas desejam mesmo um produto ou serviço como o seu. Tenho certeza que algumas pessoas já responderam internamente: “Ah mas eu sei!”, “Já precisei muito disso!”. Sabe mesmo? Será que você sabe o que é importante para seu cliente? Será que você conhece mesmo os motivos que vão levar seu cliente a comprar no seu estabelecimento e não na concorrência?

Para termos essa certeza, não há alternativas: é preciso se expor e perguntar! Aqui a receita é: converse com seus potenciais clientes! E não me venha fazer só “desk research” (pesquisa feita com dados do mercado, geralmente disponíveis na internet). Isso também é importante, mas é só uma parte. Você precisa perguntar! E aí indico uma outra técnica: TBCV – Tira o Bumbum da Cadeira e Vai!

O ideal é que você pesquise sobre seu mercado, seus clientes e converse também com “especialistas”, tais como seus concorrentes, possíveis fornecedores, contadores, pessoas que dominam o assunto, gente que trabalha com isso há tempos, afinal, especialista é quem realmente entende do seu negócio.

E veja só: este é um exercício contínuo, que dá trabalho, envolve persistência e precisa ser planejado. Fato é que você pode ter um baita resultado positivo conseguindo identificar o que precisa ser melhorado e que serviço precisa ser alterado para que você possa atingir o diferencial que tanto busca. E é necessário entender que mais importante do que “desenhar” o negócio como você o concebeu, é entender que ele precisa ser desenhado para o seu cliente.

Juntando as pontas

Depois de coletar todas estas informações, volte para o seu “papel” e revise, avalie, refaça e revise novamente. Veja se o que você precisará realizar é algo que te encanta mesmo e está conectado com aquilo que você deseja pra você mesmo – você no futuro. Lembra que disse que seria importante?! Veja se é isso mesmo que estava em seus planos, se este é um jogo bom para você.

Se for, comece a estabelecer um plano de ação para iniciar o seu negócio. Coloque prazos, seja específico e detalhista.

A partir daqui, comece a realizar!

Fácil, né? E é, quando bem planejado. Mas é trabalhoso, exige bastante de nós e exige que sejamos comprometidos com aquilo que queremos e que tenhamos uma dose extra de persistência, pois a única certeza que se pode ter é que haverá imprevistos. Muitos deles! E no momento em que eles aparecerem você precisará se lembrar do porquê tudo começou e onde você pretende chegar com tudo isso. Mas uma coisa eu te garanto: você perceberá que não existe nada no mundo mais recompensador e energizante do que seguir aquilo que te faz feliz.

E pra você eu digo: vai dar medo! Mas se organiza, se planeja e vai com medo mesmo – você vai ver que já na primeira venda ele vai embora.

Gostou deste post? Compartilhe!


0 comentário(s)


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

74 − 72 =

Assine a Newsletter

Assine e receba meus artigos por e-mail.